Falsas declarações sobre suposto empréstimo de 0,5M de Euros para supostos salários em atraso.

Após na última Assembleia Municipal, a bancada municipal do PS ter confrontado o Presidente da Câmara com suas falsas declarações acerca de suposto um empréstimo de meio milhão de euros, em 2002, para pagar supostos ordenados em atraso, por responsabilidade do Executivo Socialista, no mandato 1997/2001, o Vereador Tiago Malato confrontou novamente o mesmo, para pela terceira vez, pedir que este se retrate.


Leia aqui a intervenção que ocorreu no período Antes da Ordem do Dia:


(“quando acusam ficam a apontar com os dedos e os outros ficam a apontar para nós”. A pessoa que tem responsabilidades políticas …. fiquei indignado pela situação “se a pessoa acusou o toque paciência”)


«Vou usar como preâmbulo precisamente as suas palavras acabadas de dizer no ponto anterior, dirigidas, a meu ver injustamente, ao Sr. José Raposo. “quando acusam apontando com o dedo, os outros dedos ficam a apontar para o acusador. “e que “a pessoa (que apontou o dedo) tem responsabilidades políticas “e que “Fiquei indignado pela situação”. Retenhamos estas afirmações para o que se segue.


Na Assembleia Municipal, foi reposta a verdade sobre as falsas declarações que o Senhor Presidente fez, a propósito de supostas dívidas para pagamento de supostos ordenados em atraso, quando o PSD chegou à câmara. Estas afirmações, para além de serem falsas, ofenderam a honra e o bom nome dos membros do anterior executivo visado, tido como relapso.


Para esta aclaração, foi necessário investir no trabalho aturado de verificar atas e relatórios. Implicou tempo pessoal de elementos do PS e de funcionários da Câmara.

Chegados aqui esperávamos que o Sr. Presidente de Câmara, António Pita, se retratasse e no mínimo pedisse desculpas aos visados das suas afirmações infames.


Por duas vezes foi solicitado que o fizesse na Assembleia Municipal e por duas vezes se negou o Presidente.


Vimos em fim de linha solicitar pela terceira vez, que o faça em nome da verdade que tem de ser, de uma forma ou de outra, reposta. O Senhor não é um cidadão qualquer. É o atual Presidente de Câmara de Castelo de Vide sendo que é sua obrigação a defesa do Concelho e da sua verdadeira história e reputação. Repor formalmente a verdade e pedir formalmente desculpas a cada um dos visados é o mínimo que aqui solicitamos.


(O senhor Presidente referiu que “a conversa sobre este assunto aconteceu com o antigo presidente e que este infelizmente já não pode testemunhar, mas há quem possa testemunhar”.)


Não se podem confundir questões factuais com conversas de café ou corredores. O senhor ofendeu formalmente enquanto Presidente de Câmara perante os membros da Assembleia Municipal, e agora diz que foi uma conversa de circunstância informal com o presidente anterior da câmara.


O Presidente de Câmara Municipal diz em Assembleia Municipal com toda a veemência, que a câmara contraiu meio milhão de euros para pagar salários em atraso e agora diz que afinal foi só um pensamento exposto no gabinete do Presidente da Câmara há 20 anos, quando era o senhor Vice-presidente! Não deu por esse meio milhão a entrar? ou a não entrar? Não dá nas vistas o meio milhão de euros há 20 anos na contabilidade Municipal? Se diz que foi apenas uma conversa que teve como é que o Presidente de Câmara faz as afirmações formais no modo e no lugar que fez? Decerto contaria que esta mentira passasse assim impune. Como tantas outras. O que foi visto à lupa foi a falsidade das suas afirmações, porque aviltantes e evidentemente inaceitáveis.


Recusa-se então a retratar-se

“O galo já cantou três vezes. Não canta a quarta!”»




28 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo